Engraçadinhos

maiopm252008 13, 2008

Não, nenhum dos vídeos abaixo conseguiu cumprir seu objetivo de ser engraçado, mas é só pra mostrar que lá nos EUA os jogos causam tanto impacto que acabam virando tema de programas famosos de televisão.

Os dois primeiros são do Saturday Night Live e Mad TV sobre o GTA IV, e depois são dois vídeos mais antigos do Mad TV também, mostrando como o Grand Theft Auto seria em sua versão programa de auditório e um jantar em família onde a filha traz o namorado para conhecer a família.

Será que por aqui o pessoal da Zorra Total e da Praça É Nossa sabem quem é Mario Bross?

 

 

 

Grand Theft Auto IV on SNL

 

Grand Theft Auto IV – The Board Game

 

Grand Theft Auto – The Audience Game

 

Master Chief comes to dinner

Anúncios

Pique bandeira

maiopm372008 13, 2008

Mesmo crescendo com legos, Barbies e videogames, as brincadeiras preferidas na hora do recreio eram aquelas em grupo que você corria que nem louco, do tipo queimada, polícia e ladrão, esconde-esconde e pique bandeira.

Toda vez que eu jogo Team Fortress me sinto jogando pique bandeira na época da escola, juro. Pra quem não se lembra, pique bandeira era aquela brincadeira que você jogava com a galera, geralmente em uma quadra, onde na extremidade de cada quadra ficava a bandeira (ou flufy, no meu caso) do time inimigo.  O objetivo era atravessar a quadra do inimigo e roubar a bandeira dele sem que ninguém encostasse em você, caso isso acontecesse você ficava preso no campo inimigo.

Team Fortress é um jogo em primeira pessoa que tem o mesmo objetivo, mas ao invés de roubar o flufy do adversário, você tem que achar uma pasta, e ao invés do adversário encostar em você, ele tem uma artilharia bem pesada pra proteger a “bandeira” dele. Você pode até pensar que é bem comum a todos os jogos em primeira pessoa de tiro, e eu que dei uma enfeitada, mas não é. A começar pela trilha sonora que é excelente, tem um tom de humor e as falas dos personagens também são bem divertidas. O cenário é muito legal, cheio de subidas, descidas e esconderijos.

E lembra da satisfação que dava quando você roubava a bandeira do inimigo e saia como herói do recreio? Pois é, em Team Fortress quando você atinge seu objetivo também é uma festa. Existem equipes brasileiras do jogo, e sites que organizam campeonatos.

O jogo disponibiliza multiplayer online, o que torna o jogo mais divertido ainda. E você escolhe qual personagem é o ideal para cada tipo de missão, sendo que cada um deles tem uma característica bem específica.

 

The Heavy Weapons Guy

 

The Engineer

 

The Demoman

 

The Soldier

 

The Scout

 

E ainda faltam o Pyro, Spy e o Medic.

 

É um jogo muito legal, bem popular e viciante. Só não descobri qual deles me lembra mais na época da escola.


Um brinde aos videogames

maiopm592008 13, 2008

A EA Games resolveu dar uma festinha, e ao contrário do que todos pensam, que em festa de vídeo game só tem jogos, lançamentos legais, nerds malucos vestidos de Master Chief e coisas do gênero, a EA levou seu próprio cardápio de bebidas:

Battlelfield: Bad Company: Tequila prata, cointreau e limão fresco espremido, servido com gelo.

Battlefield: Heroes: Gin, framboesas frescas e pepino, batidos e coados servidos com um toque de Soda Kumquat.

Left 4 Dead: Raspas de limão fresco, manga e cachaça servido no gelo.

Warhammer Online: Rum, limão fresco espremido, calda “syrup” e pepinos batidos e servido com gelo.

Dead Space: Vermout com amaretto servido com uma cerejinha.

Rock Band: Skyy citrus, limão e lima frescos servido em copo alto.

Mass Effect: Majericão fresco, vodka e limão fresco espremido servido puro.

Pois é, todas alcoólicas. Mas foi só um momento de descontração, de maneira alguma álcool e games estão relacionados. Uma pesquisa feita no ano passado pela Universidade Complutense de Madri e a Associação de Videojogadores, revelou que pessoas que jogam videogames consomem menos drogas, tabaco e álcool.

O estudo aponta que o ócio dos usuários de videogame parece ser suficientemente gratificantes em si mesmo, de modo que, segundo dados obtidos, os encontros dos amantes de videogame estão isentos da presença de álcool e drogas. Por outro lado, o nível de atenção, destreza e superação pessoal que os videojogadores necessitam constituem um fator importante para distanciar estas substâncias químicas dos gamers.”, relata a pesquisa.

Em outras palavras, gamers conseguem aquele “barato” quando passam de uma fase impossível, conquistam vitórias, terminam um jogo e por aí vai. E ainda segundo a pesquisa, os jogadores de videogame são tão focados em se superar cada vez mais que acabam mantendo distância das drogas para que estas não atrapalhem o desempenho deles nos jogos.

É ótimo que o pessoal fique longe das drogas, mas então quer dizer que eles são viciados em videogame? Essa é uma discussão antiga, se nossos queridos jogos viciam ou não. No V Fórum Europeu de Investigadores de Neurociência de 2006, cientistas alemães divulgaram que videogames possuem o mesmo efeito sobre o cérebro que o álcool e maconha, chegando a causar dependência. “As reações cerebrais das pessoas que jogam em excesso são semelhantes às dos alcoólatras e dos usuários de maconha.” – afirmou Ralph Thalemann, cientista do Instituto de Medicina Psicológica da Universidade Charite de Berlim. O estudo comprovou que quando os jogadores submetem seus cérebros a estímulos de recompensa contínuos (destravar achievements conta?), este acaba liberando grandes quantidades de dopamina, que acaba criando uma memória de dependência.

Já estou começando a sentir falta do meu Xbox sabe… preciso… jogar…

Bom, todo mundo pra clínica de reabilitação então?

 


Que fofinho

maioam082008 13, 2008

            

                                                      A Marvel possui action figures (bonequinhos dos personagens) de todos os jeitos, estilos e para todos os gostos. Existem aqueles que são precisamente iguais aos personagens, tem os caricatos, os meia-boca, os colecionáveis, os raros, os impressionantes, os divertidos e por aí vai.

            Como toda apreciadora de HQ, eu tenho uma coleção de bonequinhos. O meu estilo preferido é o da série Super Hero Squad, que reproduz os personagens da Marvel de um jeito mais bonitinho, até mesmo os vilões. Infelizmente eu não encontro os action figures em lugar algum, com exceção dos Spider-Mans e cia – faltando apenas o Harry Osbourne para completar a coleção, fica a dica para meu presente de Natal hein. Mas como reproduzir um devorador de mundos que pesa toneladas de um jeito fofinho? Ou um esqueleto fantasma em chamas?

 

 

 

 

 

 

               Bonitinhos né? O pessoal da THQ também achou e se uniram a Marvel para lançar em 2009 o jogo Marvel Super Hero Squad. O game será para todas as plataformas, incluindo portáteis e PC, e será focado para o público entre 4 e 10 anos. É um ótimo jeito de introduzir os pequenos aspirantes à true believers no universo Marvel.

            Falando em jogos bonitinhos, eu joguei Boom Blox essa semana. O jogo tem a assinatura de Steven Spielberg e é exclusivo para Nintendo Wii. Os cenários e personagens que compõem o jogo são um tanto quanto infantis, porém o jogo exige um raciocínio lógico para derrubar, explodir ou interagir com os blocos. O intuito do jogo é simples, derrubar o maior número de blocos com poucas tentativas. Para que isso seja possível, você arremessará uma bola ou bomba nos blocos através do Wiimote, e é aí que se nota a impressionante física do jogo.

            Se Boom Blox deixa a desejar quanto à cenário e personagens, a física do jogo acaba compensando. Qualquer movimento que o jogador faça com o Wiimote terá conseqüências reais no jogo. É preciso calcular a força do arremesso, o ângulo que a bola será jogada, enfim, um jogo de quebra-cabeças muito divertido. A trilha sonora peca, é bem infantil, assim como os personagens, mas é bonitinho vai.

 

Boom Blox – Steven Spielberg / EA Games

 

            Dá certo combinar personagens fofinhos com uma certa lógica no game? Afinal, é um jogo para crianças ou adultos? Eu diria que Boom Blox agrada à todas faixas etárias, e é um excelente jogo para se jogar em família no modo multiplayer. Os jogos fofinhos nem sempre são fáceis ou simples, é o caso do adorável Patapon.

            O game de PSP conta a história de uma tribo de guerreiros que marcha, luta e se defende ao comando de um tambor que o jogador controla. Parece simples, para marchar é só fazer Pata Pata Pata Pon, para atacar Pon Pon Pata Pon, mas se você não escolher bem os guerreiros que enfrentarão cada batalha, as armas que estes usarão e souber a hora exata do ataque, sua tribo de guerreiros já era. É um joguinho de estratégia que não deixa de ser bonitinho.

 

Patapon

 

            E existem também os jogos que são bonitinhos só por serem bonitinhos, o que é o caso do açucarado LocoRoco, jogo favorito do meu colega de redação na EGM, Prandoni. A trilha sonora já entrega de cara que você tem em mãos um jogo fofinho demais. Ao ver os personagens é provável que o gamer ganhe caries imediatas de tão doce que são os semblantes. Porém o jogo possui um visual muito legal e uma jogabilidade muito diferente que merece uma chance para ser testada.

 

LocoRoco

 

            Qual o público alvo desses jogos? Infantil? Adulto? Garotas? Inexistente? Extraterrestre? Na minha opinião são games para um público mais novo, mas é claro que agrada uma parcela do público mais experiente. Não dá para comparar com jogos de diferentes categorias, e sinceramente gosto é gosto. Joga quem quer. Eu confesso que sou apaixonada tanto por Patapon quanto por Halo 3. Ainda bem que existe uma certa diversidade nas categorias de jogos da nova geração, apesar da esmagadora maioria serem os famosos games em primeira pessoa. Eu gosto muito dos jogos da nova geração, porém não tinha tido a chance de jogar os fofinhos ainda, e devo admitir que são tão bem feitos e legais quanto os outros, e acabam cumprindo exatamente a premissa para que foram criados: Divertir.

 

PS: Agradecimentos especiais ao Prandoni que me emprestou o PSP dele por 13 minutos para jogar Patapon e LocoRoco.

 

Piadinha açucarada.


Lançamento do GTA 4 no Brasil

maiopm262008 13, 2008

 

A NC Games realizou na Terça-feira 06/05, uma coletiva de imprensa para falar sobre o lançamento de GTA IV e Iron Man The Game. O gerente de Marketing da NC Games, Marcos Ladeira, e o gerente de produtos da NC Games, Vinicius Marques, começaram o evento exibindo trailers dos jogos que a empresa trará com exclusividade para o Brasil. Depois de deixar todo mundo contente com a exibição na telona de cinema dos trailers de Grand Theft Auto IV, Guitar Hero Aerosmith, The Chronicle of Narnia, Prince Caspian, Kong Fu Panda The Game, Metal Gear Solid 4 e Iron Man, a apresentação sobre GTA IV se deu início.

Foi apresentado o hotsite brasileiro do jogo pela Goblin. O cenário do site foi criado a partir de desenhos feitos a mão inspirados em localizações do próprio jogo com o intuito de formar uma pequena Liberty City. Os internautas poderão saber mais sobre a série do jogo desde o primeiro volume, conhecer os personagens de GTA IV através de pequenos clipes com trechos da biografia de cada um e comprar o jogo em uma sessão do site dedicada as lojas parceiras da NC Games. Também foi revelado que haverá uma campanha para a divulgação de Iron Man The Game nos cinemas, e que a versão de colecionador do jogo GTA IV será lançada no Brasil em quantidades limitadíssimas.

Após a apresentação da NC Games, o evento deu continuidade com as ilustres presenças de Shinji Hirano, vice-presidente da Konami Japão e George Richard da Konami US. As perguntas foram liberadas aos jornalistas e começou o pesadelo dos convidados ilustres que responderam todas elas, na medida do possível. Eles comentaram que haverá mapas e personagens para download no Metal Gear Solid 4, e há possibilidade de ter no Brasil o bundle PlayStation 3/ Metal Gear Solid 4, porém não foi confirmado já que a decisão final é da Sony e não da empresa de games.

Entre outras novidades reveladas, foi anunciado o nome oficial do próximo Silent Hill: HomeComing, a possibilidade da Konami lançar um jogo musical similar a Rock Band com algumas surpresas a mais,  e a confirmação de Castlevania para Wii e DS. Houve suspense quando perguntaram sobre rumores da produção de Metal gear Solid para o cinema. Shinji Hirano respondeu que o assunto é “confidencial”.

A NC Games comentou que GTA IV provavelmente não sofrerá a proibição que Bully teve no Brasil, já que o game não havia classificação etária. GTA IV foi classificado para maiores de 18 anos a pedido da própria empresa. Quanto ao questionamento sobre a pirataria envolvendo o jogo, a NC Games disse que pretende dar brindes na compra do GTA IV com o intuito de tentar desviar os consumidores finais do jogo pirata e os incentivarem a comprar o original, apesar deste custar R$229,90.

Após enxurradas de perguntas, as pessoas presentes no evento puderam jogar GTA IV na versão de Xbox 360 na tela de cinema, chato não?

            GTA IV será lançado oficialmente no Brasil dia 12 de Maio e estará disponível para Xbox 360 e PlayStation 3.

 

 

            O jogo tem feito muito sucesso no exterior, alcançando notas máximas em reviews de revistas conceituadas sobre o assunto:

10 pela Gamespot.

10 pela IGN.

10 pela Gamespot.

10 pela Eurogamer.

10 pela Game Informer.

10 pela Gamesradar.

A+ pela 1UP.

            Será que é pra tudo isso mesmo? Essa semana na edição de Maio da EGM Brasil sairá o review completo do GTA IV com as notas brasileiras.

 

 


Literalmente, sex machine

maiopm472008 13, 2008

            A estudante JennyLC Chowdhury recebeu como tarefa de seu curso reproduzir um controle inspirado no clássico game Pong. A premissa do exercício era ter um controle que comandasse um jogo onde a tela seria dividida ao meio, com o responsável pelo lado esquerdo da tela e outro pelo lado direito, assim como Pong, que era jogado contra a máquina.

             Essa era a base do exercício, porém foi dado à aluna total liberdade para criar o conceito do jogo. Então a moça que era fã de jogos como Guitar Hero, Dance Dance Revolution e Wii, onde há possibilidade de interação jogador/jogo, teve a idéia de criar algo que também fosse interativo.

              Jenny começou a pesquisar sobre jogos e se deparou com um fenômeno chamado por ela de “Gamer Widowhood”. A Irmandade das Viúvas de Gamers é uma comunidade de mulheres que foram trocadas por consoles ou jogos de vídeo games. Elas se reúnem para dar apoio uma as outras e tentar solucionar o abandono de seus maridos e namorados fanáticos por vídeo games. O Texto “Confessions of a video game widow” de Fran Hortop foi a gota dagua que Jenny precisava para fazer algo a respeito das mulheres traídas por vídeo game.

              No texto Fran alerta a todas as mulheres que o relacionamento namorado/vídeo game começa inocentemente. Primeiro é um console com um jogo, onde ele joga nas horas vagas ou quando dá tempo. Depois os números de jogos aumentam, seguido pelo número de consoles, aí vem mais uma televisão e quando você se depara está cercada por fios, jogos, consoles e só encontra seu namorado na cama depois que ele passou o dia todo com a outra o vídeo game.

              Jenny então deve ter pensado “Esses homens não vão largar os jogos, mas também não podem largar suas namoradas, como posso resolver esse problema?” e assim nasceu o “Intimate Controllers”, traduzindo, “Controles Íntimos.” A definição pela criadora: Uma plataforma onde o game é jogado por casais tocando um ao outro. Os controles são um sutiã para a jogadora, e uma cueca estilo boxer para o jogador. Cada controle possui seis sensores que são localizados nas peças de roupa em diferentes “graus de intimidade”. Os jogadores precisam passar de fase juntos se quiserem que a próxima fase fique mais caliente.

 

          O objetivo do jogo é criar uma maior interação entre o casal sem ter que deixar o vídeo-game de lado. Jenny, no entanto alerta que o jogo não visa resolver o problema das viúvas, mas sim criar um jogo onde os dois possam jogar juntos. O jogo funciona no estilo de Guitar Hero, onde os botões, no caso os sensores, deverão ser apalpados no momento em que aparecerem na tela.

            Minha opinião sincera sobre o assunto? Essas mulheres estão reclamando de barriga cheia. É tão difícil arranjar um companheiro que seja fanático por vídeo-games e as que encontram se sentem traídas por consoles. Eu até compreendo que certos jogos realmente são impossíveis de parar de jogar, e aí o ciúmes até tem uma justificativa, mas se o seu namorado prefere jogar Endless Ocean ao invés de passar um tempo namorando, sinto muito mas o problema não é o vício dele por jogos, ele só está criando desculpas.

              Será que os namorados gamers são mesmo tão “frouxos” assim a ponto de precisar de um joguinho para serem estimulados a largar o vídeo-game? A maior locadora de games do Reino Unido, a Gametart, realizou uma pesquisa para saber da vida sexual dos seus clientes, em especial as jogadoras. As meninas que jogam vídeo-games entram em ação com seus companheiros pelo menos uma vez a mais por semana do que as meninas que não jogam nada. Se as meninas conseguem consolidar vício/namoro aposto que os garotos também.

            E tem mais, eu acho que gamers/nerds dão excelentes namorados. A Wired fez uma lista chamada “The 10 Real Reasons Why Geeks Make Better Lovers”, “Os dez reais motivos pelo qual os geeks são os melhores amantes”, onde existem itens como “Geeks gostam de interpretar personagens.” e “Geeks fazem as coisas até o final.”

Uma outra lista, enumera os motivos “Porque geeks são um bom partido”:

1) Geeks não traem. – Além de saberem que a grama apenas parece ser mais verde do outro lado, eles não possuem uma boa capacidade de se sociabilizar com outras pessoas para arranjar um caso.

2) Geeks valorizam suas parceiras. – Provavelmente você será a primeira pessoa com quem ele terá um relacionamento sério, e por esse motivo será muito bem tratada. O geek sabe que não há muitas outras opções de companheira para ele, e francamente ele nem sabe como é que está em um relacionamento com a pessoa com quem ele está.

3) Geeks não tem hábitos de relacionamentos formados. – Geeks provavelmente não possuem um passado amoroso, então tudo que vocês fizerem juntos será novidade, sendo possível moldar os hábitos do relacionamento de vocês, já que ele não terá base para comparar.

4) Geeks são bons nas coisas que eles experimentam fazer. – Todos sabem que Geeks possuem habilidades e se esforçam para serem os melhores nelas, seja xadrez, vídeo games etc, então ele não irá desistir enquanto não tornar o relacionamento em que ele está o melhor.

5) Geeks não estão interessados em status. – Geeks são Geeks porque escolheram passar o tempo fazendo coisas que não os tornariam exatamente populares (como jogar vídeo game). Isso significa que o Geek está mais interessado em fazer sua parceira feliz do que ser bem visto pelos outros, por exemplo.

6) Geeks tem imaginação. – Use a sua imaginação.

7) Geeks são felizes e bem sucedidos em sua área de atuação. – Geeks geralmente gostam de seus trabalhos e são bons nisso, evitando o stress no relacionamento das pessoas que não gostam de seus empregos e descontam em seus parceiros.

8) Geeks são analíticos. – Se eles não acertam da primeira vez que fizeram, olham o que fizeram de errado, tentam mudar e resolver o problema. E eles tentam até conseguirem fazer certo. E uma vez que conseguem acertar, continuam buscando melhorias. (Todo mundo sabe que gamers são assim.).

9) Geeks conseguem se concentrar. – Geeks colocam total foco na tarefa que lhes fora designada. Alguém já viu um Gamer de verdade “piscar” até conseguir passar daquela fase impossível? Pois é. No relacionamento é assim também.

10) Geeks são os melhores no que eles fazem. – Então eles tentam mais, e mais vezes e nunca param de tentar. Ou você já viu um gamer parar de jogar vídeo-game só porque ele sabe que pode terminar um jogo?

Tem uma outra lista bonitinha chamada “Dez razões do Geek ser um bom pai.” Para aquelas meninas que já estão com o pensamento mais em frente.

1)     Legos.

2)     Vídeo Games.

3)     Matemática.

4)     Você terá filhos inteligentes.

5)     Alguém que entenda de tecnologia.

6)     Projetos da feira de ciências.

7)     Alguém para montar os brinquedos.

8)     Gadgets.

9)     Ser inteligente é legal.

10)  Being idolized is good for your geek.

 

Viu Jenny, tem mais pessoas que concordam comigo que esses nerds que jogam vídeo game são um ótimo partido.

 

Outras listas:

Nerds mandam bem!
Para você que gosta de um nerd (geek)
Why Geeks Make Good Lovers
Motivos pelos quais Geeks são melhores amantes (tradução do de cima)Why Geeks and Nerds Are Worth It

Top 10 Reasons Why Geeks Make the Best Catch

Ten reasons why Geeks make good friends

Top ten reasons Geeks make good fathers

Ten reasons it isn’t always easy being married to a Geek

 

 

 

 


Lego para todos

maiopm282008 13, 2008

Você já brincou de lego. Sim, foi um ponto final, uma afirmação. Eu tenho certeza de que todas as pessoas do mundo já brincaram de lego, e se você não brincou, shame on you. Em que planeta você vive? Que tipo de infância você teve? É impossível ter crescido sem construir algumas maravilhas da arquitetura infantil.

Minha infância foi dividida entre meus primeiros consoles e pecinhas de lego. Ok, as barbies e bonecas também tiveram seu espaço garantido, mas eu sempre gostei de encaixar aquelas peças, de construir coisas. O lado ruim do lego era que sempre tinha alguém que pisava em uma peça largada por aí e brigava comigo – dói muito pisar em uma peça de lego descalço. Eu podia passar horas quietinha brincando com lego. Provavelmente foi a fase preferida dos meus pais, o lego não fazia o barulho que os consoles faziam, eu não tinha que “falar” como eu “falava” com minhas bonecas quando brincava com minhas irmãs e nem fazia as melecas profissionais de quando eu brincava com massinha.

Ah lego…

Confesso que agora o lego é parte do meu passado, não é mais a mesma coisa. Não é desafiador montar as pecinhas para ver até onde elas vão. Acho que foi pensando nas crianças que cresceram com lego que surgiu a série lego de vídeo-games.

 

Começou com lego Star Wars em Abril de 2005, e agora teremos o lançamento de lego Indiana Jones dia 3 de Junho de 2008. O jogo parece bobinho, mas é mais complexo do que se imagina.

Lego Indiana Jones: The Original Adventures, será composto por fases baseadas nos antigos filmes da série: Caçadores da Arca Perdida, Indiana Jones e o Templo da Perdição e Indiana Jones e a Última Cruzada.

O game será lançado para Nintendo DS, Wii, PlayStation 2, PSP, PlayStation 3, PC e Xbox 360. O site dedicado ao jogo é muito bacana, possui conteúdo para download, inclusive a demo do jogo, a história do game, descrição dos personagens e muitas coisas legais.

http://www.lucasarts.com/games/legoindianajones/

 

 

 

Lego Indiana Jones: The Original Adventures

 

E para provar de vez que a série do lego não é coisa de criancinha, mais um super filme vai ganhar a adaptação para o lego: Batman. O site do jogo é tão legal quanto o do Indiana Jones, e se você quiser sentir-se um pouco mais nostálgico o endereço é esse:

http://batman.lego.com/en-us/Characters/Default.aspx

 

Lego Batman

 

Batman – O Cavaleiro das Trevas estréia dia 18 de Julho de 2008 e Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal dia 22 de Maio.

Indiana Jones é um cara simpático. Todas as mulheres da minha família suspiraram no cinema durante as aventuras do professor Henry Jones Júnior, e continuam apaixonadas por ele. Será que o Sr. Harison Ford ainda dá conta do recado?

Sua primeira aventura foi em 1981 – Caçadores da Arca Perdida.

 

 

 

Logo em seguida veio Indiana Jones e o Templo da Perdição em 1984.

 

 

 

Indiana Jones and the Last Crusade veio ao cinema em 1989.

 

 

 

E agora em 2008 teremos Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal.

 

                                                

 

Conclusão: O primeiro filme do Indiana Jones foi feito anos antes de eu nascer, o “último” será lançado 23 anos após o nascimento da redatora que vos escreve. Minha vó achava o Harison Ford um pão, minha mãe achava um broto (?) e eu acho… charmoso vai. Para um senhor da idade dele, temos que admitir que não está mal conservado.

Nestes anos todos de Indiana Jones foram lançados quatro jogos sobre o filme:

           

1) Indiana Jones & The Last Crusade: The Action Game. Lançado em 1989 para DOS, AtariST, Commodore 64, Game Boy, NES, Master System, Mega Drive, Game Gear, e Spectrum. Um jogo em terceira pessoa, onde o jogador controla os movimentos de Indiana Jones percorrendo por fases inspiradas no filme.

 

 

2) Indiana Jones and the Fate of Atlantis. Foi lançado para PC em 1992 desenvolvido pela Lucas Arts e se passa em 1932 durante a segunda guerra mundial.

 

 

 

3) Indiana Jones and the Infernal Machine. Lançado em 1999 também pela Lucas Arts e consistia em em desvendar enigmas, resolver quebra-cabeças e entrar em passagens secretas, além de derrotar inimigos para avançar no jogo.

 

 

 

4) Indiana Jones and the Emperor’s Tomb. Lançado em 2003 pela LucasArts. A história do jogo se passa em 1935 um pouco antes do filme Indiana Jones e o Templo da Pedição. Disponível para PlayStation 2, Xbox e PC.